Quebra de padrões

Escutar o despertador e ficar emburrada por ter sido acordada pelas responsabilidades. Tomar um banho rápido e vestir a roupa que estava separada. Comer qualquer besteira e ver as redes sociais. Acompanhar a hora em todos os momentos. Escovar os dentes, passar maquiagem e arrumar o cabelo. Pegar a bolsa, colocar o celular, uma garrafa de água e algum lanche. Ir para a parada de ônibus. Esperar.

Subir no ônibus e escolher algum lugar na janela que seja oposto ao sol. Pegar o celular, por o fone de ouvido e ficar ali, escutando música e olhando as mesmas paisagens de sempre. Oferecer segurar a bolsa. Devolver a bolsa. Descer do ônibus e chegar ao destino.

Fazer o de sempre, seja estudo ou trabalho. Conversar com as mesmas pessoas e sentar no mesmo lugar. Tudo no mesmo horário. Sempre acompanhando a hora para ver quando aquilo vai terminar.

Mais comida, conversa e ônibus. Chegar em casa e repetir os padrões até a hora de dormir. Deitar e colocar o despertador. Mais uma vez.

Do início ao fim, tudo igual, apesar de não acontecer da mesma forma. Mudanças e promessas esquecidas pelo tempo. Mais um dia no automático. Mais um dia que foi embora e não pode ser resgatado. Mais um dia em que, apesar de ser promissor, a esperança não encontrou a coragem. Mais um dia em que o comodismo ganhou.

A rotina não é ruim, mas a falta de vida nela sim. Somos responsáveis por nossas ações, então devemos fazer com que o nosso dia seja melhor que o anterior. Continuamente. Seja cada vez mais feliz e torne a sua vida uma inspiração diária. 

Anúncios

Sobre o momento em que a vida nos (re)ergue

Dizem que as dores que surgem em nossas vidas são apenas as que podemos suportar. Se é assim, gostaria de saber o motivo de nos sentirmos tão fracos diante das dificuldades. Por mais que doa, sabemos que é preciso lutar, mas passamos um tempo no luto e, muitas vezes, nos fazendo de vítima. Sim, podemos ser a vítima, mas devemos seguir em frente de qualquer forma, não? Quem quer viver preso aos erros? Se o erro foi nosso, devemos nos arrepender, pedir perdão e fazer o bem. Se foi do outro… bem, é perdoar e seguir.

Chega um momento e não sei bem como é a sua aproximação, mas ele chega e queremos nos levantar. Aos poucos, você lembra que a melhora pode ser proporcionada apenas por você, então é necessário lutar. Lutar, cair e reerguer-se para que haja mais luta, quedas e reerguimentos, mas a vida é isso: não desistir e ter esperança de dias melhores. Mesmo buscando ajuda, no fundo depende apenas de você. Estamos cansados de tantos pensamentos ruins, então começamos a criar positividade todo dia, mesmo que dure pouco tempo. Vai sendo assim até que… até que seja de verdade, sem tanto esforço e com um sorriso sincero.

A felicidade é uma escolha. Tente. Tente mesmo. Tenha coragem e torne-se livre. Sabe o motivo? Vale a pena.

O que me faz feliz?

Se eu pensar no meu passado, não sei responder se eu valorizava a vida na época. Provavelmente não. Sei que valorizo agora e é isso que importa. Por mais que eu queira mais coisas, sejam materiais ou não, venho aprendendo aos poucos a aproveitar o que tenho cada vez mais.

Felicidade é uma mistura de estado de espírito com momentos alegres, sabe? Existem pessoas que encontram felicidade em si, mas a maioria também depende de coisas externas. Ainda não cheguei ao estágio de sempre ficar bem apenas com pensamentos, então… vou falar sobre o que me deixa feliz ou ainda mais feliz. Além da minha família, namorado e cadelinha, claro.

Abraço, beijo, perfume de bebê, cheiro de grama, chuva, nuvens fofinhas, chocolate, água, girassol, pão fresco, sorriso, coisas fofinhas, bons exemplos, pequenas conquistas, a lua, borboletas, carinho, pimenta, o céu estrelado, cafuné, margarida, temperos frescos, cobertor, coisas antigas, desenho animado, boa música, demonstrações e histórias de amor… ♥

São tantas coisas que me deixam feliz, das menores para as maiores, mas que me ajudam cada vez mais a me completar.

O que te faz feliz?